NOTÍCIAS MAIS LIDAS
EDIÇÃO ONLINE
A Melhor Loja

AKI e Leroy Merlin avançam com fusão

AKI e Leroy Merlin avançam com fusão

11 JANEIRO 2018
O grupo francês ADEO anunciou a fusão das marcas AKI e Leroy Merlin nos mercados onde ambas coexistem. A informação começou a ser divulgada esta manhã na imprensa espanhola e dá conta de que o proprietário das duas cadeias deu início à sua fusão numa única estrutura empresarial.

O plano de fusão deverá estar concluído em 2020 e ainda não está decidido se ambas as marcas vão continuar ou não a coexistir. O processo de integração AKI e Leroy Merlin afeta apenas os mercados português e espanhol, embora no resto dos países também se levará a cabo a unificação das marcas. Por exemplo, em Itália, a Leroy Merlin irá integrar-se na BricoCenter.

As informações sobre que moldes este processo de fusão irá ter em Portugal são para já escassas. Contactada pela Grande Consumo, a filial portuguesa do grupo confirmou que este se encontra a reorganizar a sua estrutura empresarial. “Contudo, este é um processo que está em curso, envolvendo as duas empresas, o que requer ainda uma análise rigorosa. Só depois de concluído este estudo, poderá ser tomada uma decisão mais concreta, bem como a definição dos contornos específicos em que a mesma irá acontecer. Neste momento, a ADEO tem como objetivo estrutural reforçar sinergias entre as suas empresas e os diferentes mercados tendo em vista os desafios do futuro. Existe uma aposta constante na perspetiva de renovação, de mudança para a liderança, não pela dimensão, mas pela proximidade e melhoria de serviço ao cliente, pelo agir com sentido, com utilidade. É neste contexto que a ADEO está constantemente a estudar novas hipóteses de negócio que possam atingir, de uma forma estruturada e sólida, os seus objetivos de crescimento”, disse fonte da imprensa.

Sobre Espanha, porém, são conhecidos mais detalhes desta operação de fusão que tem por objetivo “estar mais próximo do consumidor” e “consolidar a posição de mercado”. Segundo Ignacio Sánchez Villares, diretor geral da Leroy Merlin Espanha, trata-se da “união de duas empresas líderes com um grande conhecimento e experiência no sector. O AKI aporta a polivalência, a agilidade e um conceito de proximidade. Por seu turno, a Leroy Merlin contribui com a sua experiência no sector, o desenvolvimento de projetos e a sua sólida aposta ominicanal. E, sem dúvida, há algo fundamental que nos une: a nossa vocação para o cliente e as pessoas”.

As duas insígnias serão então integradas numa única estrutura que se articulará segundo um modelo multiformato focado no cliente. Esta nova estrutura adaptará os formatos comerciais às diferentes realidades e necessidades locais dos consumidores, contando, assim, com lojas de proximidade e grandes superfícies comerciais, ao mesmo tempo que continuará a reforçar a sua transformação digital para acompanhar os consumidores através de uma experiência omnicanal única. “O processo de integração é fiel aos valores que partilhamos: a cocriação e o espírito colaborativo. As nossas formas de trabalhar são complementares. Há vários anos que partilhamos conhecimento e sinergias. A união é um passo natural de uma experiência de crescimento partilhado”, defende Frédéric Capdeville, diretor geral do AKI Espanha.

Os primeiros passos da convergência das duas insígnias iniciaram no verão passado, após a nomeação de um novo comité de direção da ADEO e a reorganização das marcas do grupo em três ecossistemas distintos: particular, onde coexistem a Leroy Merlin, a AKI, a Weldon (França) e a BricoCenter (Itália); profissional, com a marca Bricomart; e vida no lar, com as marcas Zôdio e Alice Délice, ainda não presentes no mercado português. Em Espanha, esta organização traduziu-se num plano para integrar as cadeias de abastecimento do AKI e da Leroy Merlin, os sistemas informáticos e as gamas de produto.

A partir deste ano, a fusão terá um novo impulso. Entre março e setembro serão realizados três testes-piloto nas lojas AKI de Colmenar Viejo (Madrid), Talavera de la Reina (Toledo) e Figueres (Girona), as quais estudarão os conceitos comerciais construídos com base na experiência de ambas as empresas. Todas as aberturas a partir do segundo trimestre serão conjuntas. As primeiras acontecerão nos projetos AKI em Lepe (Huelva) e Aranjuez (Madrid). Neste sentido, pelo menos em Espanha, manter-se-ão os planos de expansão anunciados por ambas as insígnias e não estão previstos encerramentos de lojas, nem mesmo nas cidades onde ambas estejam presentes. De igual modo, os recursos humanos estão assegurados, com uma previsão do seu crescimento. Será em 2019 que o AKI e a Leroy Merlin se integrarão numa única estrutura social e se impulsionará transformação do parque de lojas segundo os novos formatos, que deverá estar concluída em 2020.

Em Espanha, a empresa combinada irá gerir um parque atual de 122 lojas, com planos para abrir mais 80 nos próximos cinco anos. A faturação combinada, quando ainda não são conhecidos os valores totais do exercício de 2017, será acima dos 2.300 milhões de euros, considerando os resultados de ambos (a Leroy Merlin deverá superar os 2.000 milhões de euros em vendas e o AKI concluiu 2016 com 300 milhões de euros). 

Em Portugal, a  Leroy Merlin opera 12 lojas, número que deverá crescer para 14 com as anunciadas aberturas de Leiria e Aveiro ainda este ano. Os planos da empresa até 2020 contemplam um parque de 18 lojas. A abertura mais recente foi a de Loulé, um espaço com 10 mil metros quadrados de área total no Mar Shopping Algarve que é a maior loja da insígnia na região sul do país.

Por sua vez, o AKI, tem 37 espaços e anunciou um investimento global de 100 milhões de euros, até 2020, altura em que prever ter 64 lojas no país. Ainda neste primeiro trimestre, vai abrir a sua terceira loja no concelho de Loures, concretamente no Loureshopping. A loja conta com um investimento de cerca de 1,4 milhões de euros numa área total de 1.950 metros quadrados. Sacavém e Ponta Delgada foram as inaugurações mais recentes.