Formato “dark store” ganha importância na distribuição alimentar

Formato “dark store” ganha importância na distribuição alimentar

31 OUTUBRO 2017
O desenvolvimento do formato “dark store” está cada vez mais presente na distribuição alimentar. Trata-se de um conceito que se refere ao armazém de operações estabelecido para a preparação e envio das encomendas que chegam da loja online. “Dentro de 10 anos, a grande maioria dos alimentos vendidos online terá origem nas ‘dark stores’”, prognostica Molly Johnson-Jones, Senior Food & Grocery Analyst da GlobalData.

As “dark stores” são um meio para abordar o problema da rentabilidade dos supermercados online, apesar da GlobalData reconhecer que requerem maior investimento que os estabelecimentos convencionais. Molly Johnson-Jones destaca a liderança da Amazon e Ocado com este tipo de empreendimentos. “Têm um sortido mais amplo, custos mais baixos, menos devoluções, uma maior oportunidade para desenvolver tecnologias e a capacidade para gerar margens online dignas”.

Segundo as expectativas da GlobalData, o gasto em compras online crescerá nos próximos anos, à medida que os Millennials, principais impulsionadores do comércio eletrónico, vão formando as suas próprias famílias. A isto soma-se a possibilidade dos distribuidores ganharem quota de mercado num canal onde o discount ainda não penetrou de forma relevante.