A disputa das prateleiras continua a mesma... Sagres ou Super Bock?

A disputa das prateleiras continua a mesma... Sagres ou Super Bock?

17 AGOSTO 2017
O consumo de cerveja faz parte das rotinas do dia-a-dia dos portugueses pelos mais diversos motivos – ou porque um longo dia de trabalho chegou ao fim, ou porque é fim-de-semana, ou porque o nosso clube está a jogar, ou pelo convívio com os nossos amigos, ou porque é verão... ou porque sim! Contudo, este consumo não é apenas feito através do canal Horeca. De facto a grande distribuição é a grande responsável por diversos momentos de consumo.

Neste sentido, a Marktest Retail apresenta um artigo sobre a evolução do espaço de linear desta categoria (estudo Precise – auditoria do ponto de venda).

Não é novidade que a cerveja com álcool branca lidera o espaço de prateleira dentro da categoria de cervejas e este ano não é excepão, ao representar 62,6% do “share of shelf”. No entanto, este segmento continua a perder quota de espaço (-4,1 pontos percentuais - p.p.) para os segmentos de cervejas com álcool estrangeiras e cervejas com álcool preta e especiais (+3,5p.p. e 1,8p.p., respetivamente).

Em detalhe, verifica-se que a perda de quota de espaço por parte do segmento de cerveja com álcool branca ocorre em todas as insígnias em análise, com especial atenção para o Minipreço, onde perde 12,7p.p. Nesta insígnia, 8,8p.p. desse espaço é ganho pelo segmento de cervejas com álcool preta e especiais. Este aumento no “share of shelf” é verificado em todas as insígnias.

Também a cerveja sem álcool enfrenta o mesmo percurso que a cerveja com álcool branca, com exceção da insígnia Minipreço, onde aumenta 1p.p face a 2015. Nas insígnias Continente, E.Leclerc, Jumbo, Minipreço e Pingo Doce, o segmento de cerveja com álcool estrangeira também aumenta o seu espaço na prateleira.

Se não é novidade que a cerveja com álcool branca lidera a categoria de cervejas, ainda menos surpreendente é que as marcas Sagres e Super Bock são as que ocupam primeiro e segundo lugares do pódio. A marca Super Bock continua, em 2017, a ter mais espaço de prateleira (33,6%), seguida dos 30,4% da marca Sagres.

Ainda que, no total da categoria, as marcas líderes verifiquem uma descida na quota de espaço (1,5p.p.), no segmento de cerveja com álcool branca, ambas as marcas aumentam o seu espaço (2,9p.p.). As insígnias da Sonae continuam a apostar nas marcas líderes para estarem cada vez mais presentes nas suas prateleiras.

Por outro lado, ainda que no Jumbo a Super Bock detenha 36,7% do “share of shelf” face aos 32,2% da marca Sagres, a última aumenta a sua presença no linear, em 2017, no Grupo Auchan. Na insígnia Lidl, a marca própria ganha cada vez mais força e representa, atualmente, 70,6% da quota de espaço no linear.

No segmento de cervejas com álcool preta e especiais, as outras marcas ganham espaço no linear às restantes marcas em análise, aumentando 11,5p.p. do “share of shelf”. A única insígnia que não segue a tendência é o Intermarché, que aumenta o espaço da marca Sagres em 6,5p.p.. 

Ainda, no segmento de cerveja sem álcool, em 2015, a Sagres detinha o maior espaço na maioria das insígnias; em 2017, a Super Bock ultrapassa a marca Sagres em quase todas as insígnias, com exceção do Lidl, que dedica todo o espaço às suas marcas, e o Intermarché, onde a marca Cheers é responsável por 36,5p.p. do espaço do segmento.

Em suma, a cerveja com álcool branca tem o seu primeiro lugar assegurado nas prateleiras das insígnias da distribuição moderna, com o destaque das marcas de eleição Super Bock e Sagres, que continuam na sua habitual disputa sobre o maior espaço na prateleira.

Este artigo foi publicado na edição 45 da Grande Consumo.